Da necessidade à oportunidade: empreendedor gaúcho é símbolo de trajetória de sucesso

Empreendedor desde pequeno, João Peter tem uma história de sucesso e inspiradora sobre o sonho do próprio negócio

Publicado em: Leitura: 3 minutos

Em aspectos gerais, o empreendedorismo costuma entrar na vidas das pessoas de duas formas: por necessidade – quando a falta de emprego faz com que o trabalhador busque uma alternativa para obter uma renda; ou oportunidade, por óbvio, quando uma grande possibilidade de negócio é vislumbrada. Natural de Palmeira das Missões, o empreendedor João Peter viveu as duas situações. Quando necessário, rendeu-se ao empreendedorismo ainda criança e quando viu uma oportunidade de negócio, começou, não um, mas dois negócios no ramo alimentício. 

A ocasião faz o empreendedor 

Com pais separados e dificuldades financeiras quando ainda tinha nove anos de idade, Peter percebeu que precisava ajudar em casa. Assim, invadiu as areias da Lagoa da Conceição, em Santa Catarina, para vender picolés e ajudar a família. Com lucro de 30% das vendas, Peter carregava um carrinho que pesava quase o peso de seu corpo, mas seguia cheio de sonhos e com vontade de ser independente.  

Início de um sonho 

A venda de picolés ficou na infância, mas o aprendizado da experiência e o senso de oportunidade prosperaram. Em 2010, o empreendedor observou que, à época, o Bairro Santos Dumond, de São Leopoldo, na Região Metropolitana de Porto Alegre, precisava de um serviço de comida típica italiana que atendesse aos formatos delivery e à la carte. Dali nasceu a ideia do primeiro empreendimento, hoje, com mais de uma década. “Sempre tive muita vontade de empreender. Mesmo com pouco dinheiro, acreditei no negócio e estamos tendo sucesso até hoje e crescendo”, conta o empresário.  

Falando em sonho, a trajetória de Peter é corroborada pela última edição da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), que já havia confirmado: empreender é nada menos que o segundo sonho idealizado pelos gaúchos. O estudo é desenvolvido pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP), em parceria com o Sebrae, que aponta ainda que a taxa de empreendedorismo segue em alta no Rio Grande do Sul:  passando de 26,3%, em 2018, para 36,5%, em 2020, índice, aliás, maior que a média nacional, de 31,6%. 

… Deu tudo certo! 

Passados doze anos, junto da esposa Patrícia, atualmente ele divide as atenções do dia a dia na gestão da Casa das Pizzas que desde 2010 leva o seu nome. Em 2021, foi do lado de lá do balcão – na condição de cliente – que veio à tona uma segunda oportunidade, hoje materializada na Tenda 208, segundo empreendimento gerido pelo casal, localizado em Picada Café, na Serra Gaúcha. “Eu já frequentava a tenda e soube que o dono estava com vontade de alugar o espaço. Como gostava de lá e acreditava no potencial, fui em frente e hoje é sucesso na região”, comenta. O empreendimento oferece, além das pizzas, pastéis, cafés, drinks e um espaço para toda a família, com lareira, mesas, redes e pufes no grande jardim.  

Empreendedor e proprietário da Tenda 208, João Peter, localizada na cidade de Picada Café/RS. FOTO: Marcos Nagelstein/ Agência Preview.

 

Trabalho + conhecimento = crescimento! 

Embora esteja obtendo sucesso nos dois negócios, acomodar-se não está na rotina do empreendedor. Ávido por conhecimento, Peter esteve presente na última edição da National Restaurant Association Show 2022 (NRA), realizada em Chicago (EUA), no último mês de maio, por meio de uma missão empresarial oportunizada pelo Sebrae RS. O resultado? Ambas as empresas acumulam crescimento desde a abertura. Em 2022, a expectativa é igualmente positiva. “Com essa retomada a normalidade pré-pandemia, junto com as ideias trazidas da NRA, esperamos crescer em neste mais 30% em ambos os negócios”, destaca.  

“Empreender me move e move o mundo” 

Da venda de picolé ainda na infância a empresário de sucesso aos 34 anos e hoje à frente de dois pequenos negócios. Em uma mera linha de texto ou tempo, esse poderia ser um singelo resumo da trajetória do empreendedor gaúcho João Peter. Ainda que inspiradoras, poucas palavras não traduzem de forma fiel e justa mais de duas décadas de trabalho e dedicação. Podia virar livro, série de TV ou até filme de cinema. Mas na prática, na vida real, histórias de sucesso como a dele estão muito mais perto do que se imagina.  

“Empreender me move e move o mundo”, resume Peter, que fez de um sonho uma realização para ser encarada de olhos bem abertos. Bom para ele, para seus funcionários, fornecedores e clientes. Bom para todos. 

 

Conteúdo escrito por:

Sebrae
Mais de 1 milhão de pequenas empresas transformadas no Rio Grande do Sul. Estamos juntos para evoluir e potencializar o seu negócio.

Você também pode gostar de: