Boas práticas para os serviços de alimentação Porto Alegre

O primeiro passo para ganhar destaque no mercado é garantir a qualidade e a segurança de seus produtos

O sucesso de bares, restaurantes, lancherias ou outros serviços de alimentação começa pela higiene e segurança do alimento, indispensáveis para a entrega de um produto com qualidade ao consumidor. O SEBRAE oferece capacitação em Boas Práticas para esses estabelecimentos, abordando cada cuidado que o empreendedor deve ter, como prevenção de contaminações, comportamento modelo para o trabalho e para a higienização de superfícies. Contemplando a manipulação higiênica de alimentos, o curso é o investimento ideal para quem pensa na qualidade de seus produtos e necessário para atuar em serviços de alimentação em Porto Alegre.

*Este curso contempla a legislação específica de Porto Alegre, tendo validade em todo o estado.

Objetivo

O curso tem por objetivo apresentar informações relativas as normas de manipulação de alimentos, disseminando conhecimentos sobre as medidas e as condições higiênico-sanitárias indispensáveis para a produção de alimentos seguros e com qualidade.

Público-Alvo

Bares, restaurantes, lancherias, minimercados, ambulantes e outros serviços de alimentação que preparem ou manipulem alimentos.

Conteúdo Programático

Serão abordados os seguintes temas:

1) Contaminantes alimentares: grupos de microrganismos importantes em alimentos, parâmetros que influenciam a multiplicação dos microrganismos em alimentos.

2) Doenças transmitidas por alimentos: doenças mais frequentes.

3) Manipulação higiênica dos alimentos: preparo, porcionamento, sobras, coleta e guarda de amostras.

4) Boas Práticas: requisitos, estrutura física, controle de água, controle de pragas, controle da saúde do manipulador, higiene e comportamento pessoal, uniformes, comportamento no trabalho, higienização de superfícies, lixo, regra para visitantes, controle de fornecedores e pré-preparo.

Requisitos para receber certificado:
– maiores de idade,
– no mínimo ensino fundamental incompleto,
– no mínimo 75% de frequência,
– mínimo de 60% de aproveitamento (atingir nota 6 na avaliação).

Em caso de participantes estrangeiros, os mesmos devem apresentar documento de identificação, estar trabalhando legalmente no país e se comunicar plenamente em português (leitura, escrita e fala).

Cidades disponíveis